Guerreiro diz que até meados de 2021 monumento de Mário Cravo deve 'estar de pé'


 Após meses de divergências familiares entre os herdeiros de Mário Cravo Júnior (clique aqui e entenda o caso), o “Monumento à Cidade de Salvador”, de autoria do artista plástico baiano, finalmente tem previsão de ser reconstruído. A obra em questão sofreu um incêndio em 2019.

Em entrevista ao Bahia Notícias, o presidente da Fundação Gregório de Mattos (FGM), Fernando Guerreiro, informou que apesar do atraso - tanto por causa destes desentendimentos, quanto pela pandemia - a obra deve ser concluída no próximo ano. “Eu acho que se tudo correr bem, em março do ano que vem a gente está começando e em meados do ano que vem esse monumento está em pé”, declarou.

 

“Agora a gente está começando o processo. Estamos elaborando o termo de referência e a partir dele licita e começa a obra no ano que vem. O que eu estou garantindo é que o monumento volta”, afirmou o gestor cultural, destacando a complexidade do processo licitatório, que segundo ele “demora um pouco, mas está caminhando”.

 

Fernando Guerreiro explicou ainda que para prosseguir o processo de reconstrução da escultura original foi essencial o entendimento entre a família do artista. “Na verdade, o que houve foi um consenso. Christian Cravo foi muito importante, que é o neto. Ele fez mais ou menos uma mediação, acalmou tudo e tal. E a própria família entendeu a importância desse monumento permanecer na cidade, pela memória do próprio Mário Cravo”, avaliou o presidente da FGM.

 

Sobre as condições para tocar o projeto, Guerreiro informou que serão as mesmas previstas inicialmente pela prefeitura de Salvador. “A gente vai pagar um acompanhamento, mas direito autoral realmente não”, pontuou, revelando que a fundação está em negociações com o professor Mário Mendonça, classificado por ele como “sumidade nessa área”, para a realização do termo de referência.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem